Psicologia

Minha amada discutível imperfeição

Atualmente o padrão de perfeição vem ganhando cada vez mais força e a grande maioria das pessoas sem questionar aquilo que está sendo imposto, tornam-se escravos de padrões irreais que lhe distanciam da sua verdadeira essência. Hoje é possível encontrar vários modelos de como devemos SER que só cristaliza a nossa essência. O SER não é mais nutrindo pelo seu mundo interno e sim oprimindo pelo mundo externo, através de ilusões e exibicionismo sem conteúdo. Todo esse contexto favorece para contribuições infinitas na construção de uma sociedade doente que não consegue mais respeitar o próximo, sem qualquer possibilidade de amor diante das diferenças e imune a compaixão diante das nossas igualdades humanas. E não pense que você é vítima desse sistema, pelo o contrário, você possivelmente é mais um que alimenta diariamente esse contexto quando se trai a cada segundo não respeitando quem você é de fato. A busca de um padrão irreal para ser aprovado o tempo todo alimenta o ódio pelas diversas imperfeições que existe dentro de cada um. Quando que aceito e abraço as minhas imperfeições, eu integro o meu SER e consigo agir com amorosidade com quem eu realmente sou. Ao mudar o meu olhar, vejo as minhas imperfeições como minhas aliadas e posso usá-las ao meu favor. Por exemplo, se eu sou uma pessoa ansiosa talvez eu possa usar isso como a minha combustão para nutrir a minha curiosidade sobre o mundo e sobre o universo das relações humanas.  Agora, pare um pouco e faça uma lista rápida das suas imperfeições. Em seguida, reflita sobre como cada uma pode te auxiliar no seu dia a dia. Questione: Como posso usá-la ao meu favor? E então, escreva as estratégias possíveis de você realizar. A arte está em colocar na balança e dançar conforme a música sem qualquer luta interna e sem bater de frente com outra parte que integra o seu SER. Isso não implica que você tenha que cruzar os braços e não fazer nada. A mudança está em escolher esse novo jeito de lidar as suas imperfeições. O segredo é fazer o seu lado luz brilhar cada vez mais e o lado da escuridão se conforte de tal forma que você transcende e integra todo o seu SER.  Conviver com as diversas imperfeições, funções e com os vários papeis sociais em equilíbrio e harmonia é um dos maiores caminhos que alguém pode saborear a vida.

 

Para reflexão:

“Se há um paradoxo curioso é que quando me aceito como eu sou eu mudo.”

Carl Rogers

 

Com Carinho

Mari Rodrigues