Psicologia

O caos e seus presentes

Será possível receber presentes recebidos diante de um caos total? Como que um momento de total desamparo que funciona de forma caótica pode trazer maravilhosos presentes para as nossas vidas? O primeiro presente é justamente a saída da nossa zona de conforto, daquilo que representa algo familiar para a nossa jogada diante do desconhecido, daquilo que provoca o desequilíbrio e que promove dentro de nós um desafio diário de reinventar e descobrir um novo caminho. O segundo presente é o autoconhecimento. Você tem a oportunidade de viver e de conhecer outras faces, outras emoções, outras habilidades que você nunca imaginou que poderia sentir, pensar ou fazer diante do caos. Cabe ressaltar que muitas vezes o conhecer o seu outro lado não significa que seja inicialmente a sua melhor versão da qual você tenha muito orgulho de apresentar aos olhos do outro, na sua grande maioria o caos tem o poder de despertar o inimigo interno que existe em você. O fundo do poço, para algumas pessoas é vivenciado nesse momento, sem chão e sem rumo, e sendo você a única pessoa para mudar a direção. E o terceiro presente se configura na sua força de recomeçar a vida. Nas novas habilidades aprendidas, nos novos vínculos construídos, nas novas formas de VER o mundo e de SER na vida. E com a mudança acontecendo, a vida vai se reorganizando com novos sentidos, novos sabores e com um novo olhar sobre si mesmo e sobre a sua responsabilidade na sua existência. Agora, caso você escolha a se apegar as memórias, as dores, os ressentimentos, e ao medo do caos, tenho que alertar você, meu caro leitor, que essa jornada será ainda mais difícil do que de fato ela é. Cuidado com o nosso inimigo íntimo (lembra?)! Ele adora se alimentar desses ingredientes e intensificar as nossas ilusões sobre o medo e o amor, sobre o apego e o desapego, sobre ser escravo e de ser livre, fazendo com que ato de decidir em seguir em frente torne confuso e sem sentido. E você acaba se comprometendo com uma luta interna que nunca terá um fim, e você pode até ferir algumas pessoas, mas o morto dessa guerra é você. Lembre-se a vida é uma viagem e você é o passageiro. Então, assuma a sua responsabilidade. Viva sem julgamentos. Acolha a sua escuridão e não tenha medo da sua luz. Essa aventura chamada vida tem a profundidade de ser única e de sermos únicos, com amor, com autenticidade e com sentido. E o maior presente disso é a liberdade de confiar nos propósitos reais para a sua evolução pessoal e de que tudo está bem no seu mundo e na perfeita ordem. Reconecte com você! Afinal, são infinitos os presentes que o seu caos poderá está trazendo para você agora. Mude o olhar e receba com amor e gratidão os seus presentes.

Tenha uma semana de infinitas possibilidades de saborear a vida!

Com Carinho

Mari Rodrigues